Trabalho de estreia da cantora de roda de samba carioca é autoral e traz doze músicas.

Porta-Chuva é o show da cantora Lienne, que acontece no dia 4/10, a partir das 21h, no Solar de Botafogo, com o lançamento do CD homônimo, primeiro da carreira da cantora e compositora. A apresentação traz 12 canções autorais do disco (inéditas).

Lienne é conhecida no Rio por comandar o Samba da Irene e dar canjas em diversas rodas de samba da cidade. Em seu primeiro voo solo, Lienne participou de toda a concepção do CD e da produção do show de lançamento.

“Estou muito feliz. O resultado ficou excelente, além do que eu esperava. Tive muita ajuda, como de Pablo Friedman e Estúdio Antigo43, e dos músicos que colaboraram com arranjos, como Mauricio Massunaga e Alfredo Alves”, diz.

Para conseguir finalizar o trabalho, a cantora também fez uma benfeitoria e conseguiu a ajuda de amigos e conhecidos – que terão um show exclusivo e fechado no próximo dia 28/9, no Hostel Matryoshka, na Lapa. “Consegui muitas colaborações nas rodas de samba também”, conta.

Nas canções de Lienne, a chuva personifica sentimentos, em especial femininos – daí o nome do trabalho. Ora é alegria e esperança, ora melancolia e saudade. Ritmos brasileiros dançam junto a emoções: um maracatu nostálgico, embalado por rabeca, vira uma ciranda à beira-mar. O samba clássico, de pandeiro e cavaquinho, traz sopros que evocam brisas ou ventanias.

No show, as concepções de figurino e cenário traduzem o conceito do disco, a partir da leveza de uma palheta azulada. Uma cortina de miçangas evoca a dança das gotas no ar.

Totalmente autoral, o disco reflete os mais de dez anos de estudos de composição e canto – e os mais de cinco de pesquisa da música brasileira e sua tradição oral.

Fotos Bel Acosta

Sobre Lienne

Lienne é reconhecida na cena carioca como cantora uma jovem e consciente de sua potência e delicadeza, além de conhecedora do repertório e da linguagem do samba. Comanda o Samba da Irene e dá canjas em toda a cidade.

Entretanto, esses espaços não contemplam inteiramente o trabalho autoral. Hoje, Lienne conta com redes sociais, youtube e spotify para divulgar suas composições.

Em 2013, Lienne realizou uma extensa etnografia das rodas de samba cariocas. Alunda da UniRio, é uma das fundadoras do Coletivo Matuba, que une alunos de música e teatro para pesquisar danças e ritmos do norte e nordeste brasileiros.

Como cantora, passou por grupos importantes em sua formação musical como o Portela de Asas Abertas, o Samba da Pedreira e a Orquestra Popular Brasil de Cara – com o qual se apresentou em palcos como o Circo Voador e a Fundição. A relação com a cultura popular se estreitava sempre no período do carnaval: cantou em diversos blocos, como Terreirada Cearense, Enquanto Corria o Bloco e Rio Maracatu.

Também foi por muitos anos ritmista da banda show do bloco Agytoê.

Como compositora, tem parceiros como Raul DiCaprio, Bruno Barreto, Ledjane Motta, Nando Mattoso, entre outros. Já teve canções performadas / gravadas por Tyaro Maia, Ledjane Motta e Rogério Caetano, Juliana Peres, entre outros.

Hoje, aos 26 anos, comanda o Samba da Irene, roda quinzenal cujo repertório saúda os grandes melodistas do gênero. Nas redes sociais, lança vídeos novos toda segunda.

Links – Ouça o disco

https://spoti.fi/2NSdys
Fb.com/liennecantaecompoe
Youtube.com/lienne

A Banda

Lienne – voz

Marcos Tannuri – cavaquinho e direção musical

Lucas Marques – violão 7 cordas

Alfredo Alves – percussão

Pedro Amparo – percussão

Elisa Sarmento – percussão

Marcelo Cebukin – saxofone e flauta.

Share:

administrator

Especializada em Cultura (Arte, Lazer e Entretenimento).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *